Nunca tinha ouvido falar de uma empresa de jeans chamada Jordache. Mas ela existe desde 1978 e foi criada por três irmãos novaiorquinos que, inspirados pelos jeans europeus, decidiram criar modelos mais confortáveis e, hum, sexy para homens e mulheres. O site da marca tá aqui. No momento, a Jordache ocupa seus dias com uma campanha em que aparecem a modelo brasileira Alessandra Ambrosio e sua filha Anja.

Jeans Jordache - Alessandra Ambrosio em nova campanha

Agora o que interessa é que nos anos 1980, a Jordache decidiu investir numa série de comerciais que pareciam uma mistura de Malhação, comédia adolescente no estilo Curtindo a vida adoidado e circo de malucos, incluindo diálogos bizarros e politicamente incorretos. No reclame abaixo, levado ao ar em 1986, garotos conversam sobre como é ver os pais sem roupa. O papo vai bem (bem?) até que um molecão meio marcha-lenta resolve atalhar dizendo que “meus pais nunca ficaram pelados”.

Um comercial da Jordache que deve ter deixado as pessoas… nem sei dizer. Em 1987, um grupo de adolescentes resolve levar um senhor que jogava milho aos pombos para se divertir um pouco: andar de skate, ir a um parque de diversões, pegar chuva na rua. O filme, como você pode perceber, entrega que o velho desmaiou (morreu?) por causa do excesso de picardias – e a garotada tenta reanimá-lo.

“Odeio minha mãe, ela é muito mais bonita do que eu”. É só a frase que abre o comercial, dita por uma garota com visual de Molly Ringwald em Clube dos cinco. Depois a menina fica felizinha de lembrar que já viu uma foto da mãe quando adolescente e não a achou gata.

Digamos que os comerciais da marca eram bastante criativos: em vez de apelar para o “compre isso, compre aquilo”, rolava um roteirinho, atores e atrizes que chamavam a atenção e diálogos que (sei) mostravam como o adolescente pensava na época. Mesmo que o garoto fosse um cabeça-oca que implicasse com a namorada porque ela ia fazer faculdade. No dia seguinte, a galera ia às lojas (a Walmart é revendedora deles até hoje) procurar as peças que estavam sendo usadas no filme e tava de boa.

Ah, se você acha que conhece a menina do vídeo acima, conhece sim: é Erin Everly, filha de Don Everly, dos Everly Brothers. E primeira mulher de Axl Rose. E a razão de existir Sweet child o’mine, composta para ela. Ela também aparece no comercial abaixo.

– Você posaria para fotos pelado?
– (Meu pau) é pequeno, não vale a pena.