Quando não estava criando pinturas e esculturas bizarras, além de capas de discos (como as de How the gods kill, do Danzig), o artista suíço H.R Giger estava… dirigindo filmes. Fez produções assustadoras como Swiss made (1968) e Giger’s Necronomicon (1975), e chegou a fazer criações para um filme do romance Dune, de Frank Herbert, que seria dirigido por Alejandro Jodorowsky.

Dune acabou indo parar nas mãos de David Lynch, que usou várias ideias de Giger. A lenda de uma versão cinematográfica do romance dirigida por Alejandro e com colaborações do suíço perdurou a ponto de haver um documentário chamado Jodorowsky’s Dune. Tá inteiro no Vimeo.

Olha aí como um blog chamado Unflinching Eye descreve o filme que nunca foi feito. “A combinação do design de pesadelo de Giger com a abordagem pouco convencional e surreal de Jodorowsky, resultaria em um cult filme de ficção científica completamente diferente de tudo que já vimos. Como todos sabem, logo após o colapso de Dune, a equipe criativa de Jodorowsky, que incluía Dan O’Bannon, Giger, Chris Foss e Moebius, contribuíu com seus talentos para Alien. Que foi o mais próximo do que poderíamos ter visto”.

Tem outro link também. Convidado pela Pioneer para cuidar da parte gráfica e das criações das propagandas japonesas do sistema Zone, ele inseriu nos anúncios um pouco do material criado para o Dune que nunca saiu. Olha aí o reclame, cheio de monstros, imagens sombrias e animatrônicos.

Teve uma parte gráfica bem interessante publicada em revistas também.

O comercial que H.R. Giger fez para a Pioneer O comercial que H.R. Giger fez para a Pioneer

Surpresa! Olha as imagens de making of.