Se tivesse dado certo, o seriado Exo-Man – que virou apenas um tele-filme de duas horinhas exibido pela NBC em 18 de junho de 1977 – seria talvez o primeiro caso de super-herói que mata seus inimigos de susto. O próprio trailer do filme garante que o herói usa apenas “terror psicológico” para combater o crime e nunca nem sequer tocou num fio de cabelo de seus adversários.

Se você ficou curioso para assistir, novidade: tem uma versão dublada no YouTube, já que o filme foi exibido algumas vezes na Sessão da Tarde (como Exo-Man, o Homem de Aço).

Exo-Man deveria ter sido uma série semanal para o outono de 1977-1978, mas não deu lá muito certo (dizem que o motivo foi o pouco potencial de marketing da produção). E bom, tinha tudo para dar muito certo. O roteiro foi feito a partir de uma história do escritor Martin Caidin, cujos romances de ficção científica inspiraram o famosíssimo O homem de seis milhões de dólares. Aquela mesma série que fez um sucesso violento no Brasil nos anos 1970.

Era a história do Dr. Nicholas Conrad (David Ackroyd), um professor universitário que, ao testemunhar contra um bandido, toma uma porrada nas costas com uma barra de ferro (é a primeira cena do trailer, se você viu) e fica paralisado da cintura para baixo. Ele acaba decidindo se tornar um super-herói e, com a ajuda de amigos, manda fazer uma espécie de armadura fortíssima, com a qual se transforma no Exo-Man.

Não é das coisas mais moles: ele entra numa espécie de câmara dentro de um caminhão (!) para ter a roupa praticamente selada no corpo. Não consegue se movimentar rápido. Mas barras de ferro (e balas) nunca mais! E paredes mostram-se um desafio mais fácil do que partir uma barra de manteiga.

E o site Night Flight, que deu um recordada no filme, ainda disse que essa roupa de Exo-Man demorou dez semanas para ser feita, custou cerca de US$ 100.000 e desagradou o próprio Caidin. Apesar dos tais “problemas de marketing” da série, a ideia era investir numa onda de action figures com a roupa. Mas não deu não.