John Frusciante andava desaparecido, e por desaparecido entenda-se que ele andava deixando os fãs malucos. As poucas aparições que o ex-guitarrista dos Red Hot Chili Peppers fez recentemente foram ligadas a Linda Ramone, viúva de Johnny Ramone, guitarrista dos Ramones, de quem é amigo. A espera acabou em setembro, quando o músico soltou finalmente Trickfinger II, mais um EP ligado à música eletrônica. É esse aí de baixo.

O disco é a continuação de Trickfinger I, lançado em abril. Os dois discos foram gravados em 2007. Todo o material foi gravado ao vivo num CD-recorder, com um mixer barato, instalado na sala de estar de Frusciante.

“Em minha opinião, fazer música sem a intenção de lançá-la é a melhor coisa que um músico pode fazer para seu desenvolvimento, atualmente. O LP Trickfinger II foi feito com essa mentalidade, e foi o começo de uma nova vida musical para mim. Quando eu o escuto, é como se eu estivesse abrindo portas para novos mundos, e eu nunca tive essa sensação ao escutar músicas que eu fiz com o propósito de lançar e vender.”

E isso aí foram os poucos segundos que Frusciante decidiu conceder aos fãs nos últimos tempos. Um deles foi o tributo a Johnny Ramone, organizado em agosto no Hollywood Forever Cemetery.