Tem gente colocando comentários nesse vídeo dizendo que sonhava em ver essas cenas há mais de duas décadas. Apareceram no YouTube essa semana imagens do vídeo do cantor e compositor americano Emitt Rhodes se apresentando em 1971 no célebre programa Old Grey Whistle Test, show musical apresentado pela BBC entre 1971 e 1988. Astro do power pop que ouviu direitinho as lições dos Beatles (de Paul McCartney, em especial), ele lançava naquele ano seu terceiro e melhor disco, Mirror. Foi lá cantar Really wanted you e Love will stone you.

Apesar de fazer um som bastante acessível e de ter conquistado fãs naquele período (seu primeiro disco chegou ao 29º posto na Billboard), Emitt não estourou e mal chegou a virar cult. Mais conhecido por ter sido um dos primeiros artistas a investir em discos gravados em estúdio caseiro – mesmo contratado por um selo de tamanho considerável, o Dunhill, que lançara o Steppenwolf, ele produzia, gravava e tocava tudo em seus discos – Rhodes largou o mercado da música após o quarto LP, Farewell to paradise (1973). A partir daí concentrou-se no trabalho como técnico de som e trabalhou por vários anos nos estúdios da gravadora Elektra.

Um dos motivos que fizeram Rhodes ficar insatisfeito com o mercado fonográfico foi o fato de ter assinado um inacreditável contrato com o selo Dunhill que o obrigava a gravar seis discos em quatro anos. Não era uma situação tranquila, em se tratando de um sujeito extremamente controlador com seu processo de trabalho. Numa de suas raras entrevistas recentes, Emitt disse não gostar de nenhum de seus discos. “Eu não gosto do que eu faço!”, contou.

Para piorar um pouco, antes da carreira solo, Rhodes tinha sido obrigado a gravar várias músicas para a gravadora A&M. Tudo porque sua ex-banda, o Merry-Go-Round, encerrou atividades após assinar contrato com o selo, sem lançar nada. Apesar da trabalheira do músico, a gravadora manteve as canções engavetadas. Assim que Rhodes conseguiu algum barulho na mídia com o primeiro disco pela Dunhill, a A&M decidiu pôr na loja as tais músicas, no álbum The american dream, e quebrou as pernas do debute de Rhodes. Os fãs ficaram bastante confusos.

Emitt manteve-se na ativa durante todo esse tempo e viu ondas de interesse e desinteresse por seu trabalho. Em 2009 teve lançado um documentário sobre sua trajetória, The one-man Beatles, dirigido pelo italiano Cosimo Messeri. Naquele mesmo ano, voltou a gravar, mas os resultados dos novos encontros em estúdio só chegariam às lojas em 2016 com o disco Rainbow ends. O primeiro disco dele desde 1973.

Rhodes não tem feito muitas aparições ao vivo e tem dado poucas entrevistas. Uma fonte bacana para saber do histórico dele e ter acesso a novidades (quando aparecem) é o site oficial dele. Lá dá para ver fotos raras e textos detalhados sobre cada disco