Cara, é MUITA informação para o nosso pobre cérebro. A primeira: Elke Maravilha teve um talk show no SBT em 1993, chamado Elke. A segunda: num dos programas, o entrevistado foi ninguém menos que Jorge Lafond, ex-coadjuvante dos Trapalhões, ator de novelas globais como Sassaricando e, por aqueles tempos, a Vera Verão de A Praça é nossa. Ao lado de Jorge e da anfitriã, ninguém menos que Carlos Alberto de Nóbrega, comandante da Praça.

Curiosidade: Jorge já abre o papo dizendo que “tem levado uns puxões de orelha” de Nóbrega “por causa de umas declarações que estou dando em entrevistas por aí afora”. Elke pede para abafar o assunto e pergunta sobre a careca lustrosa de Lafond, que revela raspar a cabeça apenas às segundas, “que é o dia de gravar a Praça”. Ok, depois Elke insere a história de um coronel que queria raptar Lafond – que sempre falou bastante de sua vida sexual em entrevistas, mas garante que o problema todo com Cazalbé foi por causa de um amigo.

O ator também conta que cursou Educação Física na Universidade Castelo Branco e teatro na Uni-Rio, e passou a raspar a cabeça quando levou trote na faculdade. “Eu tinha um black maravilhoso e a turminha da Penha raspava a cabeça e fiquei careca”, lembra. Elke aproveita o clima e pergunta se ele sempre foi assumido. “Sempre fiz a linha gayzinho, mas comportado. Depois de velho é que chutei o balde”, conta o ator, que estava para estrear um show chamado Vera Verão em concerto, em que cantava “de tudo, até o homem dos outros”. Lafond também fala sobre o preconceito com negros e gays. “E eu além de ser negro, sou homossexual e artista”, conta.

Aliás, olha a chamada do programa aí.