Cinco funções que Brian Johnson desempenhava antes de entrar para o AC/DC

Antes de entrar para o AC/DC (fato que aconteceu há exatos 37 anos, em 29 de março de 1980), o vocalista Brian Johnson podia se gabar de ter pelo menos um fã famoso. E esse fã era ninguém menos que… Bon Scott, o cantor que esteve à frente do grupo australiano de 1974 a 19 de fevereiro de 1980, quando morreu. Quem revelou foi ninguém menos que Angus Young, guitarrista solo do grupo, em papo publicado no livro “AC/DC – A Biografia”, de Mick Wall: Bon comentou com ele que tinha conhecido certa vez “um vocalista de uma banda chamada Geordie, Brian, que era um grande cantor de rock na linha do Little Richard. E Little Richard era o grande ídolo de Bon”. Quando Scott morreu, a banda pensou em outros vocalistas para o seu lugar (Noddy Holder, gritalhão oficial da banda glam Slade, foi cotado, mas desistiu antes de fazer testes), mas Angus lembrou que Brian foi o primeiro a ser lembrado. Ligaram para ele, convidaram o cantor para um teste e… nada foi o mesmo para ambas as partes. E isso aí era o que ele fazia antes de entrar para o grupo – do qual está afastado hoje.

HOMEM DE FAMÍLIA: Quando o britânico Brian entrou para o AC/DC, já era casado há doze anos com Carol e tinha duas filhas, Joanne (nascida em 1968) e Kala (nascida em 1973 – na foto acima, ela aparece com o pai no aniversário de 5 anos). O casal não está mais junto desde os anos 1980 e Brian já está casado de novo há anos com Brenda.

THE JASPER HART BAND: Em 1971, Brian podia ser encontrado à frente dessa banda, que fazia versões soft-rock de canções do musical “Hair” e também gravou material autoral, nunca lançado – a não ser por trechinhos que vazaram no YouTube em 2011, como o dessa música aqui, “Down by the river”. Durou até toda a banda – menos o guitarrista Ken Brown – ser convidada para integrar um projeto mais profissional, capitaneado pelo guitarrista Vic Malcolm. Esse tal projeto durou, aos trancos e barrancos, até 1985, vendeu muitos discos e se chamava Geordie (e Brown, por sinal, toca adiante uma versão atualizada da Jasper Hart até hoje).

GEORDIE: A primeira banda de sucesso de Brian surgiu em 1972 em Newcastle, Inglaterra (o nome “geordie” é um apelido dado a quem nasce na região), e era um grupo meio glam, meio hard rock. Fizeram sucesso com singles como “Don’t do that” (1972) e “All because of you” (1973) e durante um bom tempo foram uma boa opção da gravadora EMI para competir com bandas pesadas e cheias de glitter como Slade e Sweet. Se você está acostumado com o esporro vocal de Brian no AC/DC, surpresa: nessa época ele gritava menos e cantava (um pouquinho só) mais formalmente.

SOLO: Quando o Geordie começou a fazer água, Johnson gravou um compacto solo pela gravadora Red Bus, ligada a EMI, com “I can’t forget you now” e “I can’t give it up”, duas canções românticas. Se no Geordie, Brian já cantava bem diferente do que faria no AC/DC, em “I can’t forget…” mal dá para reconhecer a voz dele.

GEORDIE II: Entre 1978 e 1980, o Geordie estava parado, Brian estava sem emprego como músico e o vocalista achou que seria uma boa ideia juntar três amigos – Derek Rootham na guitarra, Dave Robson no baixo e Davy Whitaker na bateria – e montar uma continuação da banda com o nome “Geordie II”. O projeto não foi adiante porque Johnson foi convidado para entrar para o AC/DC, mas a turma dessa formação se reencontrou com o cantor em 2001, fez alguns shows e até gravou duas músicas.