Tinha um problema que acometia todo mundo que comprava a revista Letras traduzidas da Bizz nos anos 1980. Podia ser até legal conseguir finalmente saber o que seu astro pop preferido estava cantando, mas, cá entre nós, letras em inglês soavam extremamente bobas quando traduzidas pro português. Isso significava que tinha uma grande chance de aquele sucesso do Ozzy Osbourne que fazia você bater cabeça perder totalmente a graça quando você lia o nome dele na língua que você falava.

Sem ligar muito pra isso, a operação brasileira da gravadora CBS – hoje Sony – resolveu, entre (mais ou menos) 1981 até (mais ou menos) 1985 lançar no Brasil boa parte de seu catálogo internacional com títulos (e às vezes letras inteiras no encarte) traduzidos. Dava até uma ajudinha para alguns fãs. Só que muitas vezes alguns títulos vertidos para o português faziam tudo perder muito da graça. E em vários casos ou eles eram mal-traduzidos ou viravam frases com construções bem bizarras. Ou que ignoravam personagens da cultura pop, ou preceitos básicos da composição, como o fato de que muitas vezes o nome de uma canção não faz sentido algum e é apenas aquela frase da letra que todo mundo lembra, ou que está no refrão.

O disco mais bem sucedido de Bruce Springsteen no Brasil, Born in the USA (1984) teve nomes de músicas traduzidos no selo e na contracapa. A faixa-título virou “nascido em U.S.A.” (e não “nascido nos EUA”).

Quando a CBS resolveu traduzir nomes das músicas dos discos pro português

“Voltando-me para você” parece o nome de um baladão de Dolores Duran lançado nos anos 1950 – mas era a tradução de Turn to you, música das Go-Go’s de seu último disco, Talk show, de 1984.

Quando a CBS resolveu traduzir nomes das músicas dos discos pro português

Fearless, clássico de Nina Hagen, tinha TV snooze. Ou “TV soneca”, que parece o nome de algum disco infantil.

Quando a CBS resolveu traduzir nomes das músicas dos discos pro português

Jokerman, sucesso de Infidels, disco de Bob Dylan lançado em 1983, era uma referência ao Coringa do Batman, cuja imagem aparecia inclusive no clipe da canção. Mas traduziram para “homem de piadas”.

Quando a CBS resolveu traduzir nomes das músicas dos discos pro português

Beat it é “cai fora” mesmo.

Quando a CBS resolveu traduzir nomes das músicas dos discos pro português

Todo mundo batendo cabeça ao som do “trem maluco”.

Quando a CBS resolveu traduzir nomes das músicas dos discos pro português

“Sapatos corredores” ou “sapatos de corrida”?

Quando a CBS resolveu traduzir nomes das músicas dos discos pro português

Nossa, que formal!

Quando a CBS resolveu traduzir nomes das músicas dos discos pro português
Na verdade, por uma falta de vírgula, Credit card baby não é “garota do cartão de crédito”. A canção do Wham! tem um verso no refrão que é “você pode ficar com meu cartão de crédito, baby”.
Quando a CBS resolveu traduzir nomes das músicas dos discos pro português

“Traduziam os nomes nas fitas K7 também?”. Sim. Olha aí The dream of the blue turtles, estreia solo do Sting (1985).

Quando a CBS resolveu traduzir nomes das músicas dos discos pro português

Fotos: Discogs