Brian Eno sempre se interessou em envolver o ouvinte em seu som, e já queria uma sensação de “surround” quando começou a escrever música. Encarava a maquiagem como parte envolvente de seu processo artístico nos anos 1970. E vem de uma linhagem familiar de… carteiros. “Sempre estive envolvido com comunicação”, brinca. É o que você vai ver no documentário Another green world, que a BBC, em sua série Arena, fez em 2010, para mostrar um pouco do que move o ex-tecladista do Roxy Music. Evidentemente, seu período no grupo não ficou de fora.

Tá aí o vídeo – infelizmente ninguém lembrou de botar legendas nem em inglês.

O doc não é sobre o terceiro disco solo de Brian, lançado em 1975 – e que trazia uma lista de colaboradores de meter medo, com nomes como Phil Collins, Robert Fripp e John Cale. Mas usa o nome do álbum para mostrar um pouco dos universos criados por Eno e para trazer para o espectador o mundo de Brian, profundamente ligado à tecnologia e à criação de estúdio. Eno também faz algumas confissões pessoais para a câmera e uma delas depende de você acreditar nele ou não: a de que na época do Roxy Music, ele conquistou mais garotas que Bryan Ferry.