Só de ouvir o nome “Amiga 1000”, muitos fãs de computadores antigos já começam a salivar. Lançado em 23 de julho de 1985 com uma baita festa no Lincoln Center, em Nova York, o tal Amiga 1000, lançamento da Commodore International, era o sonho de consumo de qualquer pessoa que desejasse dar passos definitivos no mundo da computação gráfica.

Aquela vez em que Andy Warhol desenhou Debbie Harry num computador Amiga 1000

A ideia era que, no começo, o modelo fosse próprio para jogos – o criador do Amiga, Jay Miner, trabalhara na Atari. O projeto foi evoluindo a ponto da máquina ganhar tela com 4096 cores simultâneas, som estéreo com quatro canais e outros detalhes que faziam muita gente babar.

Quem ganhou um Amiga 1000 logo que ele foi fabricado foi ninguém menos que Andy Warhol. O criador da Factory tinha virado o rei da arte digital lá pra meados dos anos 1980. Tanto que no tal evento do Lincoln Center, ele e ninguém menos que Debbie Harry, do Blondie, foram duas das principais atrações. Na frente da plateia, Warhol sacou do novo software ProPaint e fez um retrato de Debbie no computador.

Não foi a única criação digital de Warhol, que logo depois desenharia no computador uma lata de sopa Campbell, O nascimento de Vênus de Botticelli e até flores. Embora Warhol tenha falado numa entrevista sobre o desejo de imprimir essas imagens e distribuí-las como obras de arte próprias, nunca rolou. O site do Andy Warhol Museum fala um pouco sobre esse lado digital da obra do rei da arte pop.

Aquela vez em que Andy Warhol desenhou Debbie Harry num computador Amiga 1000