Vai ter gente chorando vendo isso. Tem um tempinho, alguém jogou no YouTube o vídeo de divulgação de nada menos que 3 feet high and rising, disco de estreia do trio de rap De La Soul (1989). Um disco tão importante para a cultura hip hop (e para a cultura pop de modo geral) que tem quem o defina como o Sgt Pepper’s ou o The dark side of the moon do estilo musical.

Logo que saiu, 3 feet cristalizou uma imagem bem-humorada e “psicodélica” do De La Soul, trio de Nova York que foi considerado uma espécie de new wave do hip hop – partindo do princípio que o Public Enemy era o punk, mais duro e engajado. Aparentemente o grupo formado por Kelvin Mercer (Posdnous), David Jude (Trugoy) e Vincent Mason (Maseo) já tinha gravado o material de divulgação escaldado. Tanto que certa parte do vídeo é gasta com a galera fazendo questão de explicar que não são um grupo de hippies e que não têm nada a ver com o assunto.

E por que isso? Bom, na época do álbum, o De La Soul tinha ido ao programa de Arsenio Hall apresentar o hit My, myself and I e foi apresentado como “os hippies do hip hop”. Isso criou um rótulo difícil de dissipar. É o momento abaixo.

No vídeo de divulgação, o De La Soul mostra seu quartel-general, seu animal de estimação (um pombo branco que “estabelecia a paz” no estúdio da banda) e explicava os conceitos do disco e do grupo. O produtor do De La Soul, Prince Paul, numa atitude bastante pioneira, mostrava que era capaz de achar beats de soul em tudo o que quisesse. Até mesmo num vinil antigo do Clube do Mickey, que põe no toca-discos.

Mais: se você nunca entendeu a sigla DA.ISY, que aparece em determinados momentos de 3 feet – ou aquele conceito de DA.ISY Age – a turma esclarece que se trata de “da inner sound y’all” (“som interior para todos vocês”, ou algo do tipo).

Jogaram o vídeo de divulgação de "3 Feet..." do De La Soul, no YouTube

“Daisy” em português, significa “margarida”. Não por acaso, a banda resolveu mudar de imagem no segundo disco, De La Soul is dead (1991). Pôs um vaso de margaridas derrubado na capa, passou a falar um pouco mais grosso mas não deixou de atacar o movimento gangsta que começava a fazer (cada vez mais) sucesso na época.

Via Voices Of East Anglia